Uma Rosa vermelha no jardim político brasileiro: A Liga Socialista Independente entre o Luxemburguismo e o Trotskismo

Lineker Noberto

Resumo


Este artigo trata da posição original, ainda não reconhecida, da Liga Socialista Independente (LSI), na história do marxismo brasileiro. Conhecida carinhosamente como a Liga, este agrupamento paulista nasceu em contraposição a reorganização da Quarta Internacional no Brasil. Fruto de militantes que romperam com os novos caminhos trilhados pelo movimento trotskista internacional, seus fundadores aproximaram-se do luxemburguismo ao relacionarem a polêmica de Rosa Luxemburgo com Lenin sobre a concepção de partido e construção do socialismo na URSS à crítica ao bolchevismo, tanto em sua vertente stalinista quanto trotskista. Contudo, sua leitura da realidade, explicitam sua dívida para com o trotskismo, sempre presente na organização desde suas origens. Assim, nasceu uma rosa vermelha, que entre o luxemburguismo e o trotskismo inaugurou um espaço novo dentro do campo marxista brasileiro, se posicionando contra o stalinismo, àquela altura nacional-reformista, do Partido Comunista do Brasil (PCB).

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Escrita da História