Notas sobre A Conceição, de Tomás Antônio Gonzaga

Autores

  • Jean Pierre Chauvin Professor Associado da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP) https://orcid.org/0000-0001-9514-109X
  • Cleber Vinicius do Amaral Felipe Professor Adjunto do Instituto de História da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Palavras-chave:

Gênero épico, Tomás Antônio Gonzaga, A Conceição

Resumo

Neste artigo, discutem-se expedientes e tópicas da poesia épica, ao proceder a análise de A Conceição: o naufrágio do Marialva, de Tomás Antônio Gonzaga (1744-1810). Para melhor guarnecer a leitura do poema, percorrem-se as principais contribuições dos estudiosos que se ativeram à epopeia, levando-se em conta preceitos retórico-poéticos e a emulação de modelos (auctoritas). Com esse objetivo, retoma-se a concepção religiosa e política do reino português, bem como os mecanismos relacionados à conformação social dos homens letrados (súditos do reino) entre o final do século XVIII e o início do XIX.

Referências

ALVES, Hélio J. S. Camões, Corte-Real e o sistema da epopeia quinhentista. Coimbra: Centro Interuniversitário de Estudos Camonianos, 2001.

A POÉTICA Clássica (Aristóteles, Horácio, Longino). 12. ed. Trad. Jaime Bruna. São Paulo: Cultrix, 2005.

ARISTÓTELES. Retórica. Trad. Edson Bini. São Paulo: EDIPRO, 2011.

BRANCO, Camilo Castelo. Curso de literatura portuguesa. Lisboa: Matos Moreira, II, 1876.

BRITO, Bernardo Gomes de. História trágico-marítima. Rio de Janeiro: Lacerda Editores/Contraponto Editora, 1998.

CAMÕES, Luís Vaz de. Obra Completa. 5ª imp. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2008a.

CAMÕES, Luís Vaz de. Os Lusíadas. Organização, apresentação e notas de Jane Tutikian. Porto Alegre: L&PM, 2008b.

CÍCERO. As Familiares, 5, 12, apud HARTOG, François. A história de Homero a Santo Agostinho. Trad. Jacyntho Lins Brandão. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2001, p. 157.

CORTE-REAL, Jerônimo. Naufrágio e lastimoso sucesso da perdição de Manoel de Sousa Sepúlveda, e Dona Lianor de Sá sua mulher e filhos, vindos da Índia para este Reino na nau chamada o galeão grande S. João que se perdeu no cabo de boa Esperança, na terra do Natal. E a peregrinação que tiveram rodeando terras de Cafres mais de 300 léguas até sua morte. Lisboa: Oficina de Simão Lopez, 1594.

FELIPE, Cleber Vinicius do Amaral. Os Lusíadas, de Camões, e a História Trágico-Marítima: por uma poética do bem comum. Tempo, Niterói, v. 26, p. 500-521, 2020.

FURTADO, Joaci Pereira. O épico gonzaguiano e o naufrágio da jangada de pedra: história e retórica na epopeia de Tomás Antônio Gonzaga. Rev. Let., São Paulo, v. 59, n. 2, p. 181-196, jul./dez., 2019.

GONZAGA, Tomás Antônio. A Conceição: O Naufrágio do Marialva. Transcrição, introdução e notas de Ronald Polito de Oliveira. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1995.

GONZAGA, Tomás Antônio. Tratado de Direito Natural. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

GRINBERG, Keila. Apresentação. In: GONZAGA, Tomás Antônio. Tratado de Direito Natural. São Paulo: Martins Fontes, 2004, p. VII-XXXV.

HANSEN, João Adolfo. Autor. In: JOBIM, José Luis (org.). Palavras da crítica. Rio de Janeiro: Imago, 1992, p. 11-43.

HANSEN, João Adolfo. As liras de Gonzaga: entre retórica e valor de troca. In: Via Atlântica, n. 1, p. 40-53, 1997.

HANSEN, João Adolfo. Alegoria: construção e interpretação da metáfora. Campinas: Editora Unicamp; São Paulo: Hedra, 2006.

HANSEN, João Adolfo. Introdução: notas sobre o gênero épico. In: TEIXEIRA, Ivan. (org.). Épicos: Prosopopeia / O Uraguai / Caramuru / Vila Rica / A Confederação dos Tamoios / I Juca Pirama. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo/Imprensa Oficial de São Paulo, 2008, pp. 17-91.

KANTOROWICZ, Ernst H. The King’s Two Bodies: study in Mediaeval political theology. 7. ed. Princeton: Princeton University Press, 1997.

OLIVEIRA, Ronald Polito de. “Introdução”. In: GONZAGA, Tomás Antônio. A Conceição: o naufrágio do Marialva. São Paulo: Edusp, 1995, p. 19-72.

OVÍDIO. Metamorfoses. Tradução de Vera Lúcia Leitão Magyar. São Paulo: Madras, 2003.

PÉCORA, Alcir. Documentação histórica e literatura (a propósito das Cartas Chilenas). REVISTA USP, São Paulo, n. 40, p. 150-157, 1998-1999.

PÉCORA, Alcir. A Conceição: uma epopeia jurídica. In: _____. Máquina de Gêneros. 2ª ed. São Paulo: Edusp; Campinas: Editora Unicamp, 2018, p. 169-187.

PINHO, Ruy Rebello. História do Direito Penal Brasileiro: período colonial. São Paulo: Bushatsky/Edusp, 1973.

RODOLPHO, Melina. Écfrase e Evidência nas Leras Latinas: doutrina e práxis. São Paulo: Humanitas, 2012.

SARAIVA, António José. Luís de Camões: estudo e antologia. Lisboa: Livraria Bertrand, 1980.

VERÍSSIMO, José. Estudos de Literatura Brasileira. 2ª série. Rio de Janeiro: H. Garnier, livreiro-editor, 1901.

Downloads

Publicado

11.04.2022

Como Citar

Chauvin, J. P., & do Amaral Felipe, C. V. (2022). Notas sobre A Conceição, de Tomás Antônio Gonzaga. Escrita Da História, 1(15), 10–34. Recuperado de https://www.escritadahistoria.com/index.php/reh/article/view/248

Edição

Seção

Dossiê: História e Linguagens: História. Ficção. Literatura