Com quantas imagens se faz um passado? A representação histórica imagética de Georg Simmel em seu ensaio sobre Rembrandt

Autores

  • Edmo Videira Neto Doutorando em história pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

Palavras-chave:

Georg Simmel, Rembrandt, Ensaio, Representação, Imagem, Metáfora

Resumo

O objetivo deste artigo é perpassar por algumas elaborações do autor alemão Georg Simmel (1858 - 1918) a respeito da representação imagética do passado. Neste sentido, teremos como base de análise seu ensaio sobre o pintor holandês Rembrandt pois nele conseguimos encontrar o tema da representação. Para realizar a atividade proposta, lançaremos mão de uma interpretação de dois tipos de imagens: tanto os quadros de Rembrandt analisados por Simmel quanto as metáforas que o autor alemão produziu em seu ensaio. Portanto, escolhemos abordar três conceitos específicos dentro deste texto a fim de entendermos as representações simmelianas que são elaboradas: vida, temporalidade e indivíduo. Por último, buscaremos apontar algumas contribuições que este ensaio de Simmel oferece para a disciplina histórica e para a tarefa do historiador de representar o passado

Biografia do Autor

Edmo Videira Neto, Doutorando em história pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

Doutorando em História pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), com bolsa CAPES, na linha de pesquisa Patrimônio, Ensino de História e Historiografia. Mestre em história pela mesma instituição (2021) Possui Licenciatura em História pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2018). Tem experiência e possui interesse na área de História, com ênfase em Teoria e Filosofia da História, História da Historiografia, História e Literatura, Narrativa Histórica. Atua principalmente nos seguintes temas de pesquisa: Georg Simmel, Hayden White, Conhecimento Histórico, Representação do Passado, Ética e Estética do Tempo Presente.

Referências

Referências bibliográficas

ADORNO, Theodor. O ensaio como forma. In: Notas de Literatura I. Trad. Jorge de Almeida. Duas cidades, São Paulo, 2003.

AGAMBEN, Giorgio. Aby Warburg and the nameless science. In: AGAMBEN, Giorgio. Potentialities. Stanford: Stanford University Press, 1999.

ASSIS, Arthur Alfaix. What is history for? Johan Gustav Droysen and the functions of historiography. Berghahn books, 2014.

BAMBACH, Charles. Heidegger, Dilthey, and the crisis of historicism. Cornell University, 1995.

BÁRBARA, Lenin Bicudo. A via analógica no pensamento de Georg Simmel. Sociologia & antropologia. Rio de Janeiro, v.5, 2015.

BEER, David. Georg Simmel’s concluding thoughts: worlds, lives, fragments. Paçgrave Macmillan, 2019.

BENSE, Max. O ensaio e sua prosa. In: PIRES, Paulo Roberto (Org). Doze ensaios sobre o ensaio: antologia serrote. São Paulo: IMS, 2018.

CALDAS, Pedro Spinola Pereira. Que significa pensar historicamente: uma interpretação da teoria da história de Johan Gustav Droysen. Tese (Doutorado em história) – PUC-Rio, Rio de Janeiro, 2004.

CRONAN, Todd. Georg Simmel’s Timeless Impressionism. New German Critique, No. 106, pp. 83-101.

D’ANDREA, Fabio. Simmel: Bildung as the Form of Subjectivity. Simmel Studies, Vol. 23, Num. 1/19, pp. 43-66.

DA MATA, Sérgio. Heinrich Rickert e a fundamentação (axio)lógica do conhecimento histórico. VARIA HISTORIA, Belo Horizonte, vol. 22, nº 36: p.347-367, Jul/Dez 2006

DILTHEY, Wilhelm. Introdução às ciências humanas: tentativa de uma fundamentação para o estudo da sociedade e da história. Editora Forense Universitária, Rio de Janeiro, 2010

FORTUNA, Carlos. Simmel e as cidades históricas italianas – Uma introdução. Revista crítica de Ciências Sociais, 67, Dezembro 2003, p. 101 – 127.

FRISBY, David. The Aesthetics of Modern Life: Simmel’s Interpretation. Theory, Culture & Society, 1991.

GOODSTEIN, Elizabeth. Georg Simmel and the disciplinary imaginary. Stanford University Press. Califórnia, 2017.

LEPENIES, Wolf. As três culturas. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1996.

LUKÁCS, György. Sobre a essência e a forma do ensaio: carta a Leo Popper. In: PIRES, Paulo Roberto (Org). Doze ensaios sobre o ensaio: antologia serrote. São Paulo: IMS, 2018.

NIXON, Michelle. Approaching a sociology of aesthetics: searching for method in Georg Simmel’s Rembrandt. Thesis (Master of science) – Brigham Young University, Provo, 2012.

PEREIRA, Lucia Miguel. Sobre os ensaístas ingleses. In: PIRES, Paulo Roberto (Org). Doze ensaios sobre o ensaio: antologia serrote. São Paulo: IMS, 2018.

SCHOLTZ, Gunter. O problema do historicismo e as ciências do espírito no século XX. Traduzido por Pedro Spinola Pereira Caldas. História da historiografia, Ouro Preto, n. 6, março 2011.

SIMMEL, Georg. A aventura. In: SOUZA, Jessé; OELZE, Berthold (Org). Simmel e a modernidade. Editora Universidade de Brasília. Brasília, 2005.

SIMMEL, Georg. As grandes cidades e a vida do espírito. MANA 11(2): 577-591, 2005.

SIMMEL, Georg. Ensaios sobre teoria da história. Rio de Janeiro: Editora Contraponto, 2011, nota do editor.

SIMMEL, Georg. Essays on interpretation in social Science. Translated and edited witch na introduction by Guy Oakes. Rowman na Littlefield, New Jersey, 1980.

SIMMEL, Georg. O conceito e a tragédia da cultura. Crítica Cultural – Critic, Palhoça, SC, v.9, n.1, p. 147, jan/jun 2014.

SIMMEL, Georg. O dinheiro na cultura moderna. In: SIMMEL, Georg. O conflito da cultura moderna e outros escritos. Arthur Bueno (org). Editora Senac, São Paulo, 2013.

SIMMEL, Georg. Problemas de filosofia de la historia. Buenos Aires, Editorial Nova, 1950.

SIMMEL, Georg. Rembrandt: an essay in the philosophy of art. Routtledge, New York, 2005.

SOUZA, Jessé; OELZE, Berthold (Org). Simmel e a modernidade. Editora Universidade de Brasília. Brasília, 2005, 2ª ed.

STAROBINSKI, Jean. É possível definir o ensaio? In: PIRES, Paulo Roberto (Org). Doze ensaios sobre o ensaio: antologia serrote. São Paulo: IMS, 2018.

SULLIVAN, John Jeremiah. Essai, essay, ensaio. In: PIRES, Paulo Roberto (Org). Doze ensaios sobre o ensaio: antologia serrote. São Paulo: IMS, 2018.

VANDENBERGHE, Frédéric. As sociologias de Georg Simmel. Petrópolis, Vozes, 2018.

WAIZBORT, Leopoldo. As aventuras de Georg Simmel. Editora 34, 1ª edição, São Paulo, 2000.

Downloads

Publicado

27.06.2022

Como Citar

Neto, E. V. (2022). Com quantas imagens se faz um passado? A representação histórica imagética de Georg Simmel em seu ensaio sobre Rembrandt. Escrita Da História, 2(16), 146–172. Recuperado de https://www.escritadahistoria.com/index.php/reh/article/view/256