Literatura e sociedade: os romances espíritas de Bezerra de Menezes e o Brasil nas últimas décadas do século XIX

Autores

  • Flávio Luan Freire Lemos Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
  • André Victor Cavalcanti Seal da Cunha Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Palavras-chave:

Literatura Espírita, Bezerra de Menezes, História do Espiritismo

Resumo

O artigo objetiva discutir a importância da literatura nas Ciências Humanas a partir dos romances doutrinários escritos por Adolpho Bezerra de Menezes. Assentada em uma cultura letrada, o Espiritismo Kardecista tem na produção literária um instrumento importante na sua consolidação e institucionalização no Brasil. Logo, buscamos também enfatizar a relevância dessa fonte na consolidação das pesquisas sobre o Espiritismo no âmbito acadêmico. Ademais, a literatura romanesca produzida por Bezerra de Menezes também possibilita pensarmos o papel dos intelectuais na transição entre império e república brasileira. Situamos o mesmo como pertencente ao grupo nomeado por Nicolau Sevcenko de “escritores-cidadãos”. Estes, preocupados com os rumos da nação e produtores, através das suas escritas engajadas politicamente, em soluções. Ao trazer para seus romances problemáticas das últimas décadas do século XIX, apontamos o transbordamento de sua escrita doutrinária da mera função de divulgação do Kardecismo. Portanto, buscamos situar a importância da literatura espírita, produzida por Bezerra, como fonte importante para o debate acadêmico, sobretudo acerca da relação entre literatura e as tensões sócio-políticas na transição entre império e república no Brasil.

Palavras-chave: Literatura Espírita. Bezerra de Menezes. Literatura e Sociedade.

Biografia do Autor

Flávio Luan Freire Lemos, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Graduado em História pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte-UERN, mestrando pela mesma instituição, no Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais e Humanas-PPGCISH. Bolsista Programa Demanda Social / CAPES. Pesquisa na área de História Cultural e História das Religiões, com foco investigativo na literatura espírita produzida pelo líder Adolpho Bezerra de Menezes.

André Victor Cavalcanti Seal da Cunha, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Doutor em História pela Universidade Federal do Ceará-UFC, professor do Departamento de História da FAFIC/UERN, do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais e Humanas FAFIC/PPGCISH/UERN e coordenador do PROFHISTÓRIA-UERN. Dedica-se a investigações nos seguintes campos: História Cultural das Religiões e Religiosidades; História Cultural do Espiritismo; Ensino de História.

Referências

AMADO, Janaína. Região, sertão e nação. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, p. 141-151, v. 8, n. 15, 1995. Disponível em: <http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/view/1990 >. Acesso em 03 de jan. 2021.

ANDRADE, Luciana Teixeira de. Literatura e Ciências Sociais. Locus: Revista de História, v. 6, n. 2, 2000. Disponível em: <https://periodicos.ufjf.br/index.php/locus/article/view/20513>. Acesso em 15 de jan. 2021.

ALONSO, Angela. Ideias em Movimento: geração 1870 na crise do Brasil-império. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

AUBRÉE, Marion. Entre História e Mito: a dinâmica da literatura espírita no Brasil. Revista Caminhos - Revista de Ciências da Religião, Goiânia, v. 10, n. 2, p. 145-156, mar. 2013. ISSN 1983-778X. Disponível em: <http://seer.pucgoias.edu.br/index.php/caminhos/article/view/2459>. Acesso em: 04 fev. 2021.

ARRIBAS, Célia da Graça. Afinal, Espiritismo é religião? A doutrina espírita na formação da diversidade religiosa brasileira. São Paulo: Alameda, 2010.

CANDIDO, Antônio. Formação da literatura brasileira: momentos decisivos. 6 ed. V.01. Belo Horizonte: Editora Itatiaia, 2000a.

_____. Formação da literatura brasileira: momentos decisivos. 6º ed. V. 02. Belo Horizonte: Editora Itatiaia, 2000b.

_____. O romantismo no Brasil. São Paulo: Humanitas/FFLCH, 2002.

CHARTIER, Roger. A História Cultural entre práticas e representações. Col. Memória e sociedade. Maria Manuela Galhardo (trad.). Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1990.

COSTA, Sebastião Guilherme Albano da. Figuras: ciências sociais, literatura e mídia na modernidade latino-americana. Comunicação & Inovação, v. 23, p. 20-38, 2011. Disponível em: <https://seer.uscs.edu.br/index.php/revista_comunicacao_inovacao/article/view/1193>. Acesso em: 04 fev. 2021.

CUNHA, André Victor Cavalcanti da. A invenção da imagem autoral de Chico Xavier: uma análise histórica sobre como o jovem desconhecido de Minas Gerais se transformou no medium espírita mais famoso do Brasil (1931 –1938). Tese (Doutorado em História). Universidade Federal do Ceará. Fortaleza, 2015. Disponível em: <http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/14515>. Acesso em: 10 jan. 2021.

CUNHA, André Victor Cavalcanti da; LEMOS, Flávio Luan Freire. Adolpho Bezerra de Menezes: notas sobre a trajetória de um político espírita (1880-1900). In: SCHNEIDER, Aimée (org.). Anais Ciclo Virtual Internacional de Comunicações de História Política. Porto, Portugal: Editora Cravo, 2021. P. 1439-1448. Disponível em: <http://conjugare.pt/wp-content/uploads/2021/02/Anais-do-Ciclo-Virtual-Internacional-de-ominicacoes-de-Historia-Politica-PPGH-UERJ.pdf>. Acesso em 06 de março de 2021.

CURY, Aziz. Legado de Bezerra de Menezes: pesquisa inédita sobre o médico, político, religioso, pedagogo e abolicionista que viveu no século XIX. São Paulo: Elevação, 2007.

FACINA, Adriana. Literatura e sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.

FACÓ, Rui. Cangaceiros e fanáticos: gênese e lutas. 4 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1976. Disponível em:https://digital.bbm.usp.br/handle/bbm/7762. Acesso em 20 de mar. de 2021.

FANINI, Angela Maria Rubel. Os romances-folhetins de Aluísio Azevedo: aventuras periféricas. Tese (Doutorado em Teoria Literária). Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2003. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/84646>. Acesso em 15 de jan. de 2021.

FERREIRA, Lúcio Menezes; NOELLI, Francisco Silva. João Barbosa Rodrigues: precursor da etnoclassificação na arqueologia Amazônica. Amazônica: Revista de Antropologia, V. 1, P. 68-95, 2016. Disponível em: <https://periodicos.ufpa.br/index.php/amazonica/article/view/138 >. Acesso em 13 de jan. de 2020.

GIDDENS, Anthony. Estruturalismo, pós-estruturalismo e a produção da cultura. In: GIDDENS, Anthony; TURNER, Jonathan. Teoria Social Hoje. São Paulo: UNESP, 1999. P.280-320.

HOBBES, Thomas. Leviatã. Rosina D’Angina (trad.). 1º ed. São Paulo: Martin Claret, 2014.

KOSTER, Henry. Viagens ao. Nordeste do Brasil. Rio de Janeiro: Companhia Editora Nacional, 1942, p. 118-227.

LEWGOY, Bernardo. Os espíritas e as letras: um estudo antropológico sobre cultura escrita e oralidade no Espiritismo kardecista. Tese (Doutorado em Antropologia Social). Universidade de São Paulo. São Paulo, 2000. Disponível em: <https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/16244>. Acesso em 15 de jan. de 2021.

LYNCH, John. As origens da independência da América Espanhola. IN: BETHELL, Leslie. (org.). História da América Latina: da independência a 1870. v. III. Trad. Maria Clara Cescato. 1a ed. reimp. São Paulo: Edusp; Brasília, DF: Fundamentação Alexandre de Gusmão. 2004. p. 19 – 72.

MENEZES, Adolpho Bezerra de. A casa assombrada. São Paulo: Editora Camille Flammarion, 2001.

_____. A pérola negra. Rio de Janeiro: Federação Espírita Brasileira, 2011a.

_____. Bezerra de Menezes, o abolicionista do Império: A escravidão no Brasil e as medidas que convém tomar para extingui-la sem dano para a nação. Paulo Roberto Viola (org.). 1º ed. Rio de Janeiro: F.V. Lorenz, 2009.

_____. Discursos parlamentares – Bezerra de Menezes: seleção e introdução do Deputado Freitas Nobre. Brasília: Câmara dos Deputados, Coordenação de Publicações, 1986.

_____. Evangelho do futuro. 2º reimpressão. Rio de Janeiro: Federação Espírita Brasileira, 2011b.

MONNIOT, Victorine. Folhetim: O quarto da avô ou a felicidade na família, Reformador, Rio de Janeiro, 21 de jan. de 1883, Disponível em:< http://www.sistemas.febnet.org.br/acervo/revistas/1883/html5forpc.html?pagina=0>. Acesso em 09 de fev. de 2021.

_____. La Chambre de la grand'mère ou le bonheur dans la famille. Paris: Périsse frères, 1862. Disponível em:< https://books.google.com.br/books?id=rKk4iBEd4KEC&ots=qNlIFa7FQe&lr&hl=pt-BR&pg=PA3#v=onepage&q&f=false>. Acesso em 09 de fev. de 2021.

PORTELA, Valéria Lentz. Espiritismo: identidade e literatura. O status do autor e do livro na concepção doutrinária kardecista a partir de uma etnografia na Sociedade Beneficente Espírita Bezerra de Menezes. Monografia (Ciências Sociais). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2012. Disponível em: <https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/56140>. Acesso em 15 de jan. de 2021.

SEVCENKO, Nicolau. Literatura como missão: tensões sociais e criação cultural na Primeira República. São Paulo: Brasiliense, 1999.

SILVA, Alberto Souza. Considerações sobre a pesquisa em ciências sociais: sociologia e literatura. Revista Elaborar, ano 1, n.1, 2013.

SILVA, Felipe Vieira Batista. O pensamento liberal de Bezerra de Menezes na segunda metade do século XIX (1867-1900). Dissertação (Mestrado em História). Universidade Federal de São João del-Rei. São João del-Rei, 2018. Disponível em: <https://www.ufsj.edu.br/portal2-repositorio/File/pghis/DissertacaoFelipeVieira.pdf>. Acesso em 15 de jan. de 2021.

SOUZA, Francisco Castro de. Bezerra de Menezes, o político. In: FILHO, Luciano Klein (org.). Bezerra de Menezes: fatos e documentos. 2º edição. Niterói, Rio de Janeiro: Lachâte, 2001.

SOUZA, Gabriel Soares de. Tratado descritivo do Brasil em 1587. Rio de Janeiro: Typographia Universal de Laemmert, 1851.

Downloads

Publicado

27.06.2022

Como Citar

Lemos, F. L. F., & Cunha, A. V. C. S. da. (2022). Literatura e sociedade: os romances espíritas de Bezerra de Menezes e o Brasil nas últimas décadas do século XIX. Escrita Da História, 2(16), 173–189. Recuperado de https://www.escritadahistoria.com/index.php/reh/article/view/261