A narrativa da experiência das mulheres no ensaio de Virginia Woolf: entre a História e a Literatura

Autores

  • Julia Helena Dias Universidade Estadual de Campinas

Palavras-chave:

Virginia Woolf, História, Feminismos, Mulheres

Resumo

Em 1929 Virginia Woolf publica, Um Teto Todo Seu, ensaio no qual ela reflete sobre a literatura, mais especificamente sobre a escrita das mulheres. Ela tem como fio condutor a busca pela experiência das mulheres ao longo do tempo. Assim, a presente análise visa reconhecer na sua narrativa da experiência de ser mulher uma abertura de novos caminhos para tornar-se sujeito, de pensar e de narrar o tempo. Mas sem pretender determinar esses sujeitos, ela não pretende responder “o que é uma mulher?” Mas questionar: O que vocês foram? O que poderão vir a ser? Em um duplo movimento temporal, um olhar para o passado, mas que procura, ao mesmo tempo, projetar o futuro, ou seja, ela lida em sua escrita com a experiência histórica das mulheres.

Palavras-chave: Virginia Woolf; História; Feminismos; Mulheres.

Referências

Referências:

ARAÚJO, Eliza de Souza Silva. Resenha Profissões para mulheres e outros artigos feministas, de Virginia Woolf. Revista Ártemis, João Pessoa, p.196, 2015.

BRANDÃO, Izabel. Virgínia Woolf e o ensaio sob o olhar feminista. In: Literatura e feminismo: propostas teóricas e reflexões críticas. Rio de Janeiro: Elo, 1999 p. 227-236.

BROWNE, Victoria. Feminism, Time and Nonlinear History. Palgrave Macmillan, 2014.

CAMARGO, Mônica Hermini de. Versões do Feminino: Virginia Woolf e a Estética Feminista. 2001.140f. Dissertação (Mestrado em Letras Modernas) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, São Paulo, 2001.

DIAS, Julia Helena. O “Mal-Estar Na História Em Three Guineas De Virginia Woolf: Escrita Feminista E A Crise Do Historicismo. Orientador: Fernando Felizardo Nicolazzi. Dissertação (Mestrado) -- Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em História, Porto Alegre, 2019.

DOSSE, François. História do Tempo Presente e Historiografia. Florianópolis: Tempo e Argumento, v. 4, n. 1, p. 5 – 22, jan/jun. 2012

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto, 2006. 366 p.

LAURETIS, T. A tecnologia do gênero. In: HOLLANDA, Heloisa Buarque de (Org.). Tendências e impasses: o feminismo como crítica da cultura. Rio de Janeiro: Rocco, 1994.

MENDEZ, Natalia Pietra. História, Gênero e Feminismo: diálogos possíveis e necessários.

MEGILL, Allan. Literatura e História. In: História e Narrativa: A ciência e a Arte da Escrita Histórica. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2016.

NASCIMENTO, Michelle Vasconcelos Oliveira do (org.) História, feminismos e estudos de gênero: reflexões interdisciplinares – Michelle Vasconcelos de Oliveira Nascimento; Rodrigo Santos de Oliveira, Isabel da Cruz Lousada (org.) São Paulo: LiberArs, 2017.

MONTEIRO, Maria Conceição. Figuras Errantes Na Época Vitoriana: A Preceptora, A Prostituta e a Louca. Fragmentos, v. 8 n. 1, jul. /dez, p. 61-71, Florianópolis, 1998.

OLIVA, Juliana. A questão “O que é uma mulher?” e seus fantasmas nas reflexões de Virginia Woolf e Simone de Beauvoir. Anais do Seminário dos Estudantes da Pós- Graduação em Filosofia da UFSCar, 2013.

OLIVEIRA, Maria Aparecida de. Three Guineas e a crítica literária feminista: revisão e releitura. Estação Literária, Londrina, v. 9, p. 204-219, jun., 2012.

OLIVEIRA, Maria da Glória. As vidas de um gênero: biografia, história, ficção. In: Diálogos, Maringá, v. 21, n. 2, 2017.

______. Os sons do silêncio: interpelações feministas decoloniais à história da historiografia. In: Hist. Historiogr., v. 11, n. 28, set-dez, ano 2018, p. 104-140.

PEDRO, Joana Maria. Relações de gênero como categoria transversal na historiografia contemporânea. Topoi, Rio de Janeiro, v. 12, n. 22, jan. - jun. 2011, p. 270-283.

SCHIMIDT, Rita Terezinha. Recortes de uma história: a construção de um fazer/saber. In: Literatura e feminismo: propostas teóricas e reflexões críticas. Rio de Janeiro: Elo, 1999, p.23-40.

______. O ficcional e o político: a história como auto invenção. In: Construções literárias e discursivas da modernidade. Porto Alegre: Nova Prova, 2008, p.47-66

SCOTT, Joan Wallach. Releer la historia del feminismo. In: Las mujeres y los derechos del hombre. México: Siglo XXI, 2012.

¬______¬. A invisibilidade da experiência. University of Chicago Press, vol. 1, n° 4. 1991.

SMITH, Bonnie G. Gênero e história: homens, mulheres e a prática histórica. São Paulo: Edusc, 2003.

WOOLF, Virginia. Mulheres e Ficção. São Paulo: Penguin Classics Companhia das Letras, 2019.

_______. Um teto todo seu. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

Downloads

Publicado

27.06.2022

Como Citar

Dias, J. H. (2022). A narrativa da experiência das mulheres no ensaio de Virginia Woolf: entre a História e a Literatura. Escrita Da História, 2(16), 48–65. Recuperado de https://www.escritadahistoria.com/index.php/reh/article/view/263

Edição

Seção

A Literatura como campo e reflexão para a História